Saudação

Olá! Este é um espaço de escrita criativa com um toque de humor, e expressão da minha vontade de me aproximar do poder revelador das palavras. Testemunho do meu envolvimento com a palavra com arte, e um jeito de dar vida à cultura que armazeno. Esta página é acessível (no modelo básico) também por dispositivo móvel. Esteja à vontade.

domingo, 21 de outubro de 2012

Bordejurbe



 Por George W de B Cavalcanti*


És cidade de calçada longa
que vomita na praia asfalto
e, no mato, defeca cimento;
armado o concreto é assalto.  

Aridez que se enche de tudo,
tentando desfazer o seu tédio
que embosca a cada esquina;  
e, se esconde em cada prédio.

Visão dupla e soneto bêbado
lê-se nas duplicadas quadras
e em  outro tanto de tercetos;
dizer o que ela sente e pensa.

No anonimato olhares falam
mesmo no rosto mais sisudo,
face a face ninguém é calado;
mundo feroz e ângulo obtuso.

Açoita a velha ninfeta, afoita
grita sozinha e de som povoa;
artificial, escondida na moita.

Nesse reduto, lerdeza maluca,
agora desfila sua pele tatuada;
a lamber desde o pelo da nuca.    

Tudo que conta parece lorota,
mas a verdade planta semente;
é ponta de salto e bico de bota.

Vai lá entender, essa diferente
congregação, chique no brega;
digo até logo, e sigo em frente.




(Ilustrações - fonte: Google Imagens)

Rádios de Israel - escolha a estação

Antes de escolher uma rádio desligue outro áudio que estiver escutando.