Saudação

Olá! Este é um espaço de escrita criativa com um toque de humor, e expressão da minha vontade de me aproximar do poder revelador das palavras. Testemunho do meu envolvimento com a palavra com arte, e um jeito de dar vida à cultura que armazeno. Esta página é acessível (no modelo básico) também por dispositivo móvel. Esteja à vontade.

sábado, 20 de dezembro de 2008

Noturna

Por George W B Cavalcanti


Quando noite, altas horas,
E no meio da madrugada,
Assombra-me fantasmas;
Mensageiros da solidão.

Eu não sei onde estás,
Só sei que, nem atinas;
Às lágrimas interiores,
Vertidas de um coração.

Saudade contra maldade;
Sôfrega bruxa feiticeira,
De fala mansa e faceira,
Simulou tanta paixão.

Então a lua, a fria lua,
Clareia o meu caminho,
Prateia os meus cabelos,
Mas, não me traz carinho.

Assim é a nossa verdade,
Que a madrugada revela;
Artifícios mil, de fugas,
Quando a noite traz você.


Sofisma e extinta chama,
Onde estás? O que faz?
O nosso leito reclama,
À noturna testemunha.


União dos Palmares - AL, 29 de outubro de 2008.

Rádios de Israel - escolha a estação

Antes de escolher uma rádio desligue outro áudio que estiver escutando.